terça-feira, 7 de agosto de 2018

Opinião: The Death of Superman (DC Animated Universe)

Neste que é o 11º filme da DC Animeted Movie Universe, é também a 3ª vez em 11 anos que a DC mostra a morte do Homem de Aço num filme.


Em 1992, a DC Comics surpreendeu o mundo com um número que viria a ser um dos seus mais famosos da história, não só da empresa, como também da banda desenhada: The Death of Superman (A Morte do Super Homem).

Capa original da Banda Desenhada | Foto: Wikipedia
A história tinha sido contada em filme pela primeira vez em 2007 com Superman: Doomsday e depois novamente em 2016 em Batman v Superman: Dawn of Justice, mas este ano recebemos o filme que mais se aproxima da história original contada nas BD's.

Os fãs mais antigos já podem conhecer a história mas os mais novos podem desconhecer por completo ou achar que é apenas material de lendas, mas a verdade é que The Death of Superman se apresenta sem pudores nem complexos de mostrar tudo o que acha ser útil, embora às vezes peque por escasso. O maior exemplo disso é o facto de não sabermos quem é o vilão da história, apenas sabemos que é um monstro vindo do espaço e que começa a matar pessoas e a destruir tudo ao seu redor.

Super Homem e Doomsday numa batalha renhida | Fonte: CBR
O Super-Homem, embora seja o elemento principal da história, vê-se obrigado a partilhar o protagonismo com outros 2 elementos muito importantes: Clark Kent e Lois Lane, mais especificamente, o relacionamento entre estas 2 personagens. O filme esforça-se por nos mostrar como é que Clark lida com a sua dupla identidade e qual a relação que Clark mantém com Lois e a relação que as pessoas mantêm com o Super-Homem.

Lois Lane e Clark Kent: uma história de amor | Foto: Geektyrant
Aliás, a "dependência" e o carinho que as pessoas têm pelo Homem de Aço é um dos grandes focos da história, para que melhor se perceba a falta que Superman faz no mundo. Para ajudar a mostrar que o Super Homem é preciso, podemos contar com os elementos da Liga da Justiça que, ao lutarem em conjunto contra Doomsday (Apocalypse em Portugal) são facilmente derrotados, sendo que a que mais próxima esteve de se aguentar foi a Mulher Maravilha.

Mulher Maravilha e Super Homem, 2 fundadores da Liga da Justiça | Foto: DC Comics
Este filme foi muito bem pensado e tem um ritmo simpático para o espectador. Não tem muitos momentos mortos e vai mantendo a ação a acontecer para que nunca se torne desinteressante. O fator "comédia" que tanta falta faz nas versões live-action dos filmes da DC, aqui estão bem presentes, fazendo com que naqueles momentos apropriados se possa esboçar um sorriso ou até mesmo soltar uma gargalhada.

Um grande herói (Super Homem) precisa dum grande vilão (Lex Luthor) | Foto: Newsarama
Quem é fã e já conhece a história, desengane-se: não vai ver nada de muito especial ou espetacular nesta longa metragem. Mas ainda assim não deixa de ser um bom investimento de tempo. Se por outro lado, não conhecem a história mas sentem-se curiosos, esta talvez seja a forma mais interessante de o fazer.

Super Homem a usar a sua visão de calor contra Doomsday | Foto: Verge
The Death of Superman não é perfeito, nem nada que se pareça, mas é uma excelente adaptação duma história que marcou o mundo da banda desenhada e dos super heróis. Pelo menos, é a melhor de todas até ao momento. Embora possa parecer uma abordagem desnecessária a uns, eu vejo esta nova incursão pela história com bons olhos. É uma longa metragem bom conseguida que nos deixa imersos na história e que não se coíbe de fazer coisas por ser de animação: pode ser em desenhos, mas não é necessariamente só para crianças.

A cena da capa da BD, reinterpretada no filme | Foto: GeekStorm
É bom relembrar que este filme é apenas a primeira parte e que só na próxima é que a história vai ser concluída... Mas para isso teremos que esperar por 2019.


Sem comentários:

Enviar um comentário