quinta-feira, 27 de junho de 2019

Crítica - Toy Story 4 (Pedro)

Quando a notícia saiu de que Toy Story receberia outro filme isso deixou todos um pouco aflitos. Toy Story 3 tinha sido um final digno da franquia, apesar de ter sido o pior da antiga trilogia, fazendo todos os adultos que cresceram com essa história chorarem como bebês nas salas de cinema. O maravilhoso adeus a uma franquia, ou não teria sido assim tão perfeito?



Toy Story 4 vem para mostrar que a Pixar pensou o mesmo que todos, o final podia ser ainda melhor. Neste longa eles conseguem trazer todos os pontos incríveis que podíamos imaginar. O primeiro e o segundo filme foram sobre o grupo de bonecos e como eles viviam escondidos das pessoas. O terceiro já foi sobre o crescimento de Andy e como os bonecos estavam ficando obsoletos. Toy Story 4 é sobre renovação, novidade, ciclos. É o fim perfeito para os bonecos de Andy, que agora são de Bonnie.

Woody, Buzz, Garfy, Slinky, entre outros brinquedos | Foto: BBC
Este longa conta a história de Garfy e Woody, dois brinquedos em momentos completamente diferentes. Bonnie, a atual proprietária de todos os bonecos que conhecemos, sente-se sozinha no primário então Woody decide ajudá-la e, assim, nasce Garfy, um boneco feito de lixo. Durante todo o longa, esses dois personagens passam por um processo de auto-realização de suas posições. Garfy acredita que é apenas lixo e, por isso, não quer nada a ver com a Bonnie. Enquanto isso, Woody não consegue esquecer de Andy e isso faz com que sinta-se com uma responsabilidade com seu antigo dono, em relação a Bonnie.

De uma forma, ambos estes personagens tem uma jornada similar e, sem a presença de ambos, nenhum conseguiria atingir o seu objetivo final. Temos o retorno de um antigo personagens também, Bo Peep, que acaba sendo muito importante para a trama. Mas, o foco deste longa não são os bonecos antigos e sim os mais recentes, o ciclo que eles vivem. É uma história emocionante do começo ao fim. De início o longa consegue já se destacar por trazer a emoção de eventos passados, da nostalgia que muitos sentem por esses incríveis filmes. E, no final, consegue, como sempre, trazer a emoção interior de qualquer um que esteja assistindo.

Bo Peep | Foto: Disney
Em termos técnicos, Toy Story nunca esteve tão visualmente lindo. A animação é de extrema qualidade, juntamente a fotografia, que acaba transformando cenas que seriam naturalmente simples em um momento de contemplação. A história é maravilhosa, fazendo com que todos prestem muita atenção no que está acontecendo. Os personagens, mesmo os antagonistas, são incrivelmente carismáticos. Ao fim do longa já é possível sentir aproximação com todos, principalmente quando falamos de Garfy, Woody, Bo Peep e Gabby Gabby.

É importante falar um pouco sobre os dois personagens centrais. Garfy é o centro desta história, é o crescimento de valor de um personagem. De acreditar que não vale nada e é apenas um lixo para saber de sua importância na vida de quem o criou. Woody é o segundo ponto de arranque de Toy Story 4, é o personagem que movimenta a história para frente, que quer o benefício de seu dono acima de tudo. Sua jornada o levará a entender o que realmente é importante em sua vida no momento e entender sua posição como boneco.

Poster Garfy | Foto: Disney
Toy Story 4, como final da franquia, é o filme perfeito. Consegue definir as histórias dos personagens que tanto amamos e nos deixar seguros de que cada um irá desfrutar dos momentos que vão ter daqui para frente.

Um agradecimento à NOS pela oportunidade de assistir a esse filme. Esteria HOJE nos cinemas!

Sem comentários:

Enviar um comentário